segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Resoluções

Clichês clichês.



Ninguém começa um ano sem fazer uma lista de resoluções se quer.
Acho que a gente empurra pro ano que está chegando todas as promessas e deveres que queríamos ou gostaríamos de ter feito durante o ano que se passou.

Esse ano eu não consegui fazer uma listinha de tarefinhas, objetivos, metas... fiquei pensando tanto no que eu queria pro ano de 2013 que tudo se tornou uma balança imaginária.

Ai é isso, quero, ao menos tentar, encontrar o equilíbrio das coisas.

Eu quero...
Menos contato virtual
Mais contato pessoal
Menos seriados
Mais livros
Menos preguiça
Mais exercício
Menos coca cola
Mais água
Menos cama
Mais rua
Menos desculpa
Mais trabalho
Menos gasto
Mais economia
Menos amargura
Mais agradecimento
Menos drama
Mais alegria
Menos choro
Mais riso
Menos depressão
Mais esperança
Menos dúvida
Mais fé
Menos medo
Mais coragem
Menos julgamento
Mais paciência
Menos falar
Mais ouvir
Menos eu
Mais pessoas
Menos rancor
Mais amor
Menos dúvida
Mais credibilidade
Menos mundo
Mais Deus!

Menos palavra
Mais ATITUDE.



terça-feira, 23 de outubro de 2012

Coco de cigano

Acho que seria justo eu ganhar dinheiro com minhas previsões, afinal, é com grande dedicação que consigo deduzir o que estar por vir. Hehehehehehehehe, sem macumbas, também não como coco de cigano, mas tem tanta gente descarada que dá pra sacar na hora o que estão aprontando. As vezes nem é cara de pau, é por não saber disfarçar, ou se achar esperto demais a ponto de ninguém perceber. Enfim... Prefiro quando acham que estão me fazendo de besta. Assim posso trabalhar em paz :P

E você? Vai deixar que eu descubra o que está tramando?


terça-feira, 16 de outubro de 2012

Nomes

Com todo respeito. Preciso falar de nome.

Sempre fico pensando nos nomes que escolheria pros meus filhos. Acho lindos, boas escolhas pra mim, nem todos concordam... Claro. Penso numa linda Catarina, uma meiga Martina e um esperto Samuel. Quem sabe daqui pra lá eu mude. Já quis Júlias, Claras, Alices, Gustavos, Caios... Sei lá, né? A gente muda tanto de idéia. O importante é mudar sempre num quadro de nomes considerados bonitos e normais, genéricos...

Ok, mas o que me faz pensar nisso são as tragédias que tenho visto por ai. Esse ranço de misturar nome de pai com o de mãe, pegar nome de artista estrangeiro e abrasileirar, achar que seu filho vai ser o mais lindo se tiver o nome do filho da Angélica ou qualquer estrela global. 

Esses pais escolhem o que querem. Não pensam se o filho vai sofrer bullying na escola com os coleguinhas, se vão inventar apelidinhos maldosos por causa do nome estranho ou se ele terá que soletrar pra atendente toda vez que quiser marcar uma consulta. Não considero meu nome estranho e já tive dificuldades porque ninguém consegue entender que não me chamo Mariana, Marília, Maria, Magda... já ouvi tanta coisa. E se somar a um sobre nome engraçado, ai ai ai. 

Ninguém está isento, pode ser o nome mais lindo. Só que a gente não precisa facilitar...


...

Tava no shopping essa semana e ouvi em plena escada rolante, triste momento, duas amigas conversando quando uma diz:
- Menina, IRRAELA foi pra festa...

Fiquei surda por um momento. Caí na gargalhada... não me contive. Me encostei no meu amigo e disse logo o nome da criatura que tava sendo referida na conversa. Foi impossível. Rimos. Me perguntei "Meu Deus porque? De onde saiu isso? COITADA dessa garota."

Pois bem, queridos futuros pais. Pensem duas, três, quantas vezes for necessário antes de colocar o nome dos seus filhos.


...

Segue uma lista de nomes estranhos que encontrei na net. Não li todos, se tiver alguém com o nome no meio, me perdoem, não fui eu que fiz a listinha, tá?:

Abrilina Décima Nona Caçapavana Piratininga de Almeida
Acheropita Papazone
Adalgamir Marge
Adegesto Pataca
Adoração Arabites
Aeronauta Barata
Agrícola Beterraba Areia
Agrícola da Terra Fonseca
Alce Barbuda
Aldegunda Carames More
Aleluia Sarango
Alfredo Prazeirozo Texugueiro
Alma de Vera
Amado Amoroso
Amável Pinto
Amazonas Rio do Brasil Pimpão
América do Sul Brasil de Santana
Amin Amou Amado
Amor de Deus Rosales Brasil (feminino)
Anatalino Reguete
Antônio Americano do Brasil Mineiro
Antonio Buceta Agudim
Antonio Camisão
Antonio Dodói
Antonio Manso Pacífico de Oliveira Sossegado
Antonio Melhorança
Antônio Morrendo das Dores
Antonio Noites e Dias
Antônio P. Testa
Antonio Pechincha
Antônio Querido Fracasso
Antonio Treze de Junho de Mil Novecentos e Dezessete
Antônio Veado Prematuro
Apurinã da Floresta Brasileira
Araci do Precioso Sangue
Argentino Argenta
Aricléia Café Chá
Armando Nascimento de Jesus
Arquiteclínio Petrocoquínio de Andrade
Asteróide Silverio
Ava Gina (em homenagem a Ava Gardner e Gina Lolobrigida)
Bananéia Oliveira de Deus
Bandeirante do Brasil Paulistano
Barrigudinha Seleida
Bende Sande Branquinho Maracajá
Benedito Autor da Purificação
Benedito Camurça Aveludado
Benedito Frôscolo Jovino de Almeida Aimbaré Militão de Souza
Baruel de Itaparica Boré Fomi de Tucunduvá
Benigna Jarra
Benvindo Viola
Bispo de Paris
Bizarro Assada
Boaventura Torrada
Bom Filho Persegonha
Brandamente Brasil
Brasil Washington C. A. Júnior
Brígida de Samora Mora
Belderagas Piruégas de
Alfim Cerqueira Borges Cabral
Bucetildes (chamada, pelos familiares, de Dona Tide)
Cafiaspirina Cruz
Capote Valente e Marimbondo da Trindade
Caius Marcius Africanus
Carabino Tiro Certo
Carlos Alberto Santíssimo Sacramento
Cantinho da Vila Alencar da Corte Real Sampaio
Carneiro de Souza e Faro
Caso Raro Yamada
Céu Azul do Sol Poente
Chananeco Vargas da Silva
Chevrolet da Silva Ford
Cincero do Nascimento
Cinconegue Washington Matos
Clarisbadeu Braz da Silva
Colapso Cardíaco da Silva
Comigo é Nove na Garrucha Trouxada
Confessoura Dornelles
Crisoprasso Compasso
Danúbio Tarada Duarte
Darcília Abraços
Carvalho Santinho
Deus Magda Silva
Deus É Infinitamente Misericordioso
Deusarina Venus de Milo
Dezêncio Feverêncio de Oitenta e Cinco
Dignatario da Ordem Imperial do Cruzeiro
Dilke de La Roque Pinho
Disney Chaplin Milhomem de Souza
Dolores Fuertes de Barriga
Dosolina Piroca Tazinasso
Drágica Broko
Ernesto Segundo da Família Lima
Esdras Esdron Eustaquio Obirapitanga
Esparadrapo Clemente de Sá
Espere em Deus Mateus
Estácio Ponta Fina Amolador
Éter Sulfúrico Amazonino Rios (socorro...)
Excelsa Teresinha do Menino Jesus da Costa e Silva
Faraó do Egito Sousa
Fedir Lenho
Felicidade do Lar Brasileiro
Finólila Piaubilina
Flávio Cavalcante Rei da Televisão
Francisco Notório Milhão
Francisco Zebedeu Sanguessuga
Francisoreia Doroteia Dorida
Fridundino Eulâmpio
Gigle Catabriga
Graciosa Rodela D'alho
Heubler Janota
Hidráulico Oliveira
Himineu Casamenticio das Dores Conjugais
Holofontina Fufucas
Homem Bom da Cunha Souto Maior
Horinando Pedroso Ramos
Hugo Madeira de Lei Aroeiro
Hypotenusa Pereira
Ilegível Inilegível
Inocêncio Coitadinho
Isabel Defensora de Jesus
Izabel Rainha de Portugal
Janeiro Fevereiro de Março Abril
João Bispo de Roma
João Cara de José
João Cólica
João da Mesma Data
João de Deus Fundador do Colto
João Meias de Golveias
João Pensa Bem
João Sem Sobrenome
Joaquim Pinto Molhadinho
José Amâncio e Seus Trinta e Nove
José Casou de Calças Curtas
José Catarrinho
José Machuca
José Maria Guardanapo
José Padre Nosso
José Teodoro Pinto Tapado
José Xixi
Jovelina Ó Rosa Cheirosa
Jotacá Dois Mil e Um Juana Mula
Júlio Santos Pé-Curto
Justiça Maria de Jesus
Lança Perfume Rodometálico de Andrade
Leão Rolando Pedreira
Leda Prazeres Amante
Letsgo Daqui (let's go)
Liberdade Igualdade
Fraternidade Nova York Rocha
Libertino Africano Nobre
Lindulfo Celidonio Calafange de Tefé
Lynildes Carapunfada Dores Fígado
Magnésia Bisurada do Patrocínio
Manganês Manganésfero Nacional
Manolo Porras y Porras
Manoel de Hora Pontual
Manoel Sovaco de Gambar
Manuel Sola de Sá Pato
Manuelina Terebentina
Capitulina de Jesus Amor Divino
Marciano Verdinho das Antenas Longas
Maria Constança Dores Pança
Maria Cristina do Pinto
Magro Maria da Cruz Rachadinho
Maria da Segunda Distração
Maria de Seu Pereira
Maria Felicidade
Maria Humilde
Maria Máquina
Maria Panela
Maria Passa Cantando
Maria Privada de Jesus
Maria Tributina Prostituta Cataerva
Maria-você-me-mata
Mário de Seu Pereira
Meirelaz Assunção
Mijardina Pinto
Mimaré Índio Brazileiro de Campos
Ministéio Salgado
Naida Navinda Navolta Pereira
Napoleão Estado do Pernambuco
Napoleão Sem Medo e Sem Mácula
Natal Carnaval
Natanael Gosmoguete de Souza
Necrotério Pereira da Silva
Novelo Fedelo
Oceano Atlântico Linhares
Olinda Barba de Jesus
Orlando Modesto Pinto
Orquerio Cassapietra
Otávio Bundasseca
Pacífico Armando Guerra
Padre Filho do Espírito Santo Amém
Pália Pélia Pólia Púlia dos Guimarães Peixoto
Paranahyba Pirapitinga Santana
Penha Pedrinha Bonitinha da Silva
Percilina Pretextata
Predileta Protestante
Peta Perpétua de Ceceta
Placenta Maricórnia da Letra Pi
Plácido e Seus Companheiros
Pombinha Guerreira Martins
Primeira Delícia Figueiredo Azevedo
Primavera Verão Outono Inverno
Produto do Amor Conjugal de Marichá e Maribel
Protestado Felix Correa
Radigunda Cercená Vicensi
Remédio Amargo
Renato Pordeus Furtado
Ressurgente Monte Santos
Restos Mortais de Catarina
Rita Marciana Arrotéia
Rocambole Simionato
Rolando Caio da Rocha
Rolando Escadabaixo
Rômulo Reme Remido Rodó
Safira Azul Esverdeada
Sansão Vagina
Sebastião Salgado Doce
Segundo Avelino Peito
Sete Chagas de Jesus e Salve Pátria
Simplício Simplório da Simplicidade Simples
Soraiadite das Duas a Primeira
Telesforo Veras
Tropicão de Almeida
Última Delícia do Casal Carvalho
Último Vaqueiro
Um Dois Três de Oliveira Quatro
Um Mesmo de Almeida
Universo Cândido
Valdir Tirado Grosso
Veneza Americana do Recife
Vicente Mais ou Menos de Souza
Vitória Carne e Osso
Vitimado José de Araújo
Vitor Hugo Tocagaita
Vivelinda Cabrita
Voltaire Rebelado de França
Wanslívia Heitor de Paula
Zélia Tocafundo Pinto

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Toca Aí 03

Tem dias que a amargura bate forte. Dá aquela tristeza. Num dia desse minha irmã doce me mandou uma mensagem com um trecho de uma música de Otto que gostamos muito. Fica aí:


Eu só queria pão.

Saindo do trabalho ontem, tô de carona com um amigo que me pede gentilmente pra comprar seu pão. Ok, caronero tem que fazer sua parte.

Nunca tinha ido naquela. Tava vazia. Apenas a caixa e o padeiro.
- Moço, três reais de pão por favor...
- É no peso, vou buscar.

A moça do caixa me olha com uma cara de melhor amiga. Acho estranho, mas sorrio.
- Você parece muito com uma menina que fez vestibular comigo.
- É mesmo? Qual o nome dela?
- Milena!!!
- Sou eu não. - uma carinha de leve decepção. (Eu poderia ser Milena, ela parecia tão empolgada que fiquei com medo de frustrar. Vai que ela sente saudades de Milena, seria um belo reencontro).
- Você é formada?
- Sou.
- Em que?
- Design.
- Legal... Mas design de que? Roupa, carro, cadeira...
- Não. Design. Design gráfico.
- Aaaaahhh - Não entendeu. - E você trabalha?
- Sim, a alguns anos.
- Legal.

Espero ansiosamente pelo carinha do pão pra sair dali. Mas ela continua. Já tava achando estranho.
- E a cidade, como tá?
- A cidade? - "Qual minha filha, essa que da passando ai na rua? Você vive onde?" - Hummm, Normal... acho que o trânsito tá aumentando agora.
- Não, tô falando do feriado. Já tem pouca gente na rua? - "Oi??? Onde esse povo trabalha que já folga na quarta feira???"
- Tô achando do mesmo jeito, se diminuir a quantidade de gente na rua vai ser amanhã, né?
- Ah é!

O homem do pão chega. Corro pra balança... penso "vai logo moço, antes que essa mulher volte a puxar papo". Ele pra mim:
- 3,20. Eu entregando o dinheiro pra ela e olhando pra baixo.
- 3,20. Ela:
- Ah tá... teu troco... então quer...

Deu nem tempo de ouvir a pergunta. Já tava na calçada gritando um sonoro "Boa noite. Até logo", só que não. Ali eu não volto.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Clichês

Você acha que vive num mundo normal, com apenas algumas pessoas confusas, outras mais racionais, talvez inteligentes o suficiente para conseguir elaborar um resposta original. Mas ai... pow, surgem os clichês. Acho que na hora do desespero os parafusos se enroscam e sobra apenas aquelas conversas que ouviram amigos contarem nas rodinhas... Eles entram em conflito e acabam soltando um já batido e formulado "O problema não é você, sou eu. Vamos ser amigos?". Atônita, você acha que não está na vida real. Pegadinha? Cadê as câmeras?

Juro... pensei que iria passar minha vida sem ouvir esse tipo de resposta.

Mas para a próxima, se houver, também tenho uma resposta prontinha, mas nem é tão clichê assim: "Não me leve a mal, mas vamos deixar essa amizade pra amanhã?"


segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Vai ser assim...

...como um furacão.
Nunca presenciei um, mas já vi os efeitos que causam. Destroçam, quebram, ferem, desolam... vem e vai embora, pra ficar só na memória. O que resta é a troçada toda pra por em ordem. Vai existir o momento de luto e dor, afinal, temos que parar pra olhar e sofrer os danos. Mas ok, tem que ser rápido. Tudo tem que ficar em pé com urgência, não se tem muito tempo pra esperar, a vida não espera, ninguém espera.

Então, vai ser assim, vem e vai, como um furacão.

Meses

O ano tá voando... analisando os meses que estão por vir, pensei no que passou e cheguei a conclusão:
Setembro, um mês todinho pra mudar a minha vida.
Outubro, um novo mês com novas espectativas, novos planos, novo ânimo.
Novembro, todo pro meu desfrute.
Desembro, parar pra respirar, olhar pra frente e seguir...

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Sem limites

Estava atualizando minha planilha financeira do mês, de acordo com uma super fatura que chegou do cartão, e me lembrei de uma conversa que ouvi essa sexta. Tava no shopping passeando com uma amiguinha e vejo um grupo de 5 meninas com seus 13 anos, no máximo, todas trabalhadas na peruagem. Enquanto observava o grupo, um delas vira para as outras e diz: MEU MAIOR SONHO É TER UM CARTÃO DE CRÉDITO SEM LIMITES. Fiquei besta. De onde ela tirou isso? Na idade dela eu não sabia nem pra que servia um cartão de crédito (ok, eu achava que cheque era um poço sem fundo, valia mais que dinheiro). Fico pensando de onde ela tirou isso: talvez uma mãe descontrolada compulsiva por compras, ou uma irmã mais velha que vive dando dor de cabeça pedindo um iPod, iPhone, esmalte, maquiagem..., quem sabe a televisão, ou até amigas que passem por qualquer um desses quadros.

Pois Bem, de onde veio eu não sei, mas pensando nela eu gostaria de deixar meu choque de lado e mudar meu sonho só por hoje... Quero uma conta bancaria bem recheada pra aliviar a pressão desse mês. Ok, aproveitaria pra fazer umas comprinhas também, quem me dera um dinheirinho pra comprar um iPhone. Tá, mas Juro que mês que vem eu volto a sonhar o meu feijão-com-arroz.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

A culpa era da gordura


Perdi mais de 50kg de alegria.
É assim que contabilizo a tristeza.
Muita gente não entende, mas é assim que funciona a cabeça de muitos ex-obesos que passaram por cirurgias. Já ouvi muito "eu era mais feliz". Acredite!
É por isso que precisamos de terapia, muitos quilos vão embora e as vezes uns parafusos também hehehehehe

O esquema é o seguinte...
Antes eu me achava infeliz por ser gorda. Colocava toda a culpa nos meus muitos quilos a mais. Se não dormia, era porque era gorda, se não me sentia bem em aviões ou cansava das caminhadas que adoro fazer, era porque era gorda, se não me vestia do jeito que queria, era porque era gorda, se não arrumava namorado, era porque era gorda, se não conseguia emprego, era porque era gorda. Tudo era culpa da gordura.
Só que não...

Hoje, mais magra do que imaginei, pareço mais triste do que eu julgava ser. O fato é que eu era feliz. Era feliz porque eu tinha uma razão para todos os meus problemas. Eu podia fazer o que queria, não tinha vergonha nem medo, eu sabia onde a culpa estava, e ali eu descansava.
Agora não tenho como fazer isso, os problemas que existiam se foram, mas apareceram novos. E agora, a culpa, jogo onde?
Até parece que não tem jeito da gente ser feliz com o que tem, pecado isso... Porque é claro que tem.

Que a gente tenha...


... e fé em Deus. Sem isso, de nada adiantaria ter todo o resto!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Teoria 19

Para os curiosos, nem sempre existe a boa fama. Pros que se mantêm tímidos, pode existir pureza. Acho que vale a pena.




terça-feira, 15 de maio de 2012

Teoria 18

Teoria, ditado, seja o que for... passei minha infância ouvindo minha mãe dizendo isso. Não adiantava a quantidade de desculpas que eu desse pois...